Indefinição pode deixar PSDB sem aliados

A demora do PSDB em definir se terá candidato próprio ou apoiará o prefeito Gilberto Kassab (DEM) pode deixar o partido sem aliados no primeiro turno da eleição à Prefeitura de São Paulo. O aviso parte de antigos parceiros dos tucanos - PPS e PTB - e do PMDB. Todos estão de olho na vaga de vice em uma chapa tucana e já foram sondados pelo ex-governador Geraldo Alckmin, que briga no PSDB para sair candidato. Mas as negociações seguem a passos lentos ante a ofensiva do PT, principal adversário na disputa.Como reação à indefinição tucana, PPS e PTB ensaiam lançar candidatos próprios. Seria uma ?proteção? nessa briga, justifica um cacique do PPS, que tem cargos na prefeitura e no governo do Estado. Ambos os partidos já têm nomes na manga - a vereadora Soninha (PPS) e o deputado estadual Campos Machado (PTB) - e dizem que não vão esperar até maio, prazo cogitado pelo tucanato para resolver a confusão interna. Os dois partidos não querem correr o risco de, nesse período, PSDB e DEM decidirem por uma aliança e deixarem as outras legendas na mão.O PMDB caminha para outra direção. Na quarta-feira, o líder do PSDB na Câmara, José Aníbal (PSDB-SP), entusiasta da candidatura Alckmin, encontrou-se com o líder máximo do PMDB em São Paulo, Orestes Quércia. Ouviu que as conversas com o PT - que ofereceu oficialmente a vice aos peemedebistas - estão mais adiantadas do que com os tucanos. Ficaram de marcar nova reunião. Quércia também aguarda um encontro oficial com a ministra Marta Suplicy, provável candidata do PT em São Paulo. Kassab também já procurou o PMDB.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.