Incra vai desapropriar 61 mil ha no MT para reforma agrária

O presidente do Instituto de Colonização e Reforma Agrária (Incra), Marcelo Resende, anunciou nesta segunda-feira que vai assinar "nos próximos dias" os decretos de desapropriação de 61 mil hectares de terra no Estado do Mato Grosso, para assentamento de trabalhadores rurais sem terra. A data exata não foi definida por Resende. O anúncio, transmitido por intermédio de sua assessoria de imprensa, teria sido decisivo para pôr fim à reocupação da sede do Incra em Cuiabá, ocupado nesta segunda-feira por mais de 300 famílias ligadas ao Movimento dos Trabalhadores Assentados e Acampado (MTA), uma dissidência do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST). "O presidente informou que a desocupação da sede do Incra já foi negociada com os invasores e deverá acontecer nas próximas horas", afirmou a assessoria de imprensa. A área de 61 mil hectares a ser desapropriada é maior do que os 40 mil hectares reivindicados pelos invasores da sede do Incra. O MTA propõe a desapropriação de 17 fazendas improdutivas no Estado, que somam uma área de 40 mil hectares. A assessoria do presidente do Incra não informou se estas fazendas estão incluídas na área a ser desapropriada nos próximos dias.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.