Incra vai à Justiça para retomar sede no Pará

A direção do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) em Belém ingressou ontem na Justiça Federal com pedido de posse da sede do órgão, ocupada há oito dias por 150 sem-terra, que cobram rapidez no assentamento de 5 mil famílias de dez municípios do nordeste paraense. Os servidores, pelo segundo dia, foram impedidos de ingressar nas dependências da sede. Os invasores avisaram que só deixarão o local quando forem recebidos pelo superintendente, Cristiano Martins, a quem acusam de cometer irregularidades. Martins nega as acusações e se recusa a receber os manifestantes.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.