Incra paulista terá quinto superintendente em um ano

O atual delegado federal do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA) em São Paulo, Wellington Monteiro Diniz, será o novo superintendente do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) no Estado. Ele vai substituir o atual ocupante do cargo, Alberto Paulo Vasques, nomeado interinamente após a saída do José Giácomo Baccarin, há dois meses, para concorrer à prefeitura de Jaboticabal. Diniz será o quinto nome no comando do Incra paulista em menos de um ano.

JOSÉ MARIA TOMAZELA, Agência Estado

04 de junho de 2012 | 18h27

A rotatividade começou com a saída do ex-superintendente Raimundo Pires da Silva, em junho do ano passado, após a Operação Desfalque, da Polícia Federal, para apurar supostos desvios de recursos da reforma agrária. Na operação, que culminou com a prisão de dez pessoas, entre elas o líder sem-terra José Rainha Júnior, o então superintendente do Incra paulista foi conduzido coercitivamente à sede da Polícia Federal, na capital, para prestar depoimento.

A nomeação de Diniz, confirmada nesta segunda pela assessoria de comunicação do Incra em Brasília, desagradou dirigentes paulistas do Movimento dos Sem-Terra (MST). As lideranças do movimento no Estado preferiam a permanência do atual superintendente que, segundo os dirigentes, tem perfil mais técnico do que político. Por trás das preferências estaria a disputa pelo controle dos assentamentos principalmente no oeste paulista entre o MST e os grupos liderados por José Rainha. O líder sem-terra, que deixou a prisão apenas em março deste ano, esteve em Brasília em reunião como os ministros Gilberto Carvalho, da Secretaria Geral da Presidência, e Pepe Vargas, do MDA, para defender a indicação de Diniz.

Tudo o que sabemos sobre:
IncraSuperintendência

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.