Epitacio Pessoa/AE - 24/08/2011
Epitacio Pessoa/AE - 24/08/2011

Incra leiloa madeira que apodrecia em assentamento no interior de SP

Material estava no assentamento Zumbi dos Palmares, em Iaras, e foi vendido por R$ 133 mil

José Maria Tomazela, de O Estado de S.Paulo

19 de janeiro de 2012 | 18h13

SOROCABA - O Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) conseguiu finalmente dar um destino aos milhares de metros cúbicos de madeira que apodreciam no assentamento Zumbi dos Palmares, em Iaras, no sudoeste paulista. Em leilão realizado na quinta-feira, 19, mais de 13 mil metros de madeira de pinus empilhada foram vendidos por R$ 133 mil. Sobram ainda 470 hectares de floresta viva e outros 250 hectares de árvores mortas. Uma parte da floresta está em pé, mas foi queimada em sucessivos incêndios ocorridos no assentamento.

 

Embora tenha evitado a perda total da madeira cortada, o leilão recuperou pouco mais de um 1% do valor pago pelo governo federal para adquirir a floresta inteira. A União desembolsou R$ 13 milhões para indenizar os antigos donos do reflorestamento. A área era usada para a exploração do pinus antes de sua destinação à reforma agrária. Parte da madeira foi vendida por uma cooperativa ligada ao Movimento dos Sem-Terra (MST), mas teria havido desvio do dinheiro, alvo de um processo na Justiça Federal de Ourinhos.

 

A proposta do Incra para a floresta em pé é a supressão gradual das árvores da espécie pinus elliottii, algo em torno de 90% do total. Cerca de 10% da floresta é constituída por espécies adaptadas aos trópicos e com maior potencial econômico, podendo ser explorada com a extração de resina por um período indeterminado. Nas áreas de floresta, o Incra deve incentivar a adoção de consórcios silvopastoris, que permitem a exploração da pecuária leiteira sem a necessidade de retirada das árvores. Nas áreas já liberadas para o plantio, será incentivado o cultivo de hortaliças.

 

A atividade já é explorada com sucesso por alguns assentados e conta com bom mercado potencial. Para dar continuidade à estruturação produtiva do assentamento, o Incra concluiu em novembro a perfuração de cinco poços, que devem beneficiar 106 famílias. Também iniciou a liberação da segunda parcela do crédito para aquisição de materiais de construção, no valor de R$ 8 mil, para 128 famílias - elas já receberam a primeira parcela de R$ 7 mil para construir moradias.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.