Incra é invadido e MST fecha estradas no Pará

A sede do Incra em Tucuruí, no sudeste do Pará, está ocupada por 200 agricultores sem-terra ligados ao MST desde a quarta-feira. Eles exigem desapropriação de fazendas, assentamento e cestas básicas. A diretora do órgão na região, Soraia de Lana, permaneceu por mais de três hora detida e foi solta após negociação dom líderes do movimento. Soraia registrou queixa na delegacia. "Que eles façam suas reivindicações, tudo bem, mas deter funcionários é errado, é criminoso. O que eles querem é tumultuar o governo", disse. De acordo com José Pereira Lima, da Comissão Pastoral da Terra (CPT), que apóia a ocupação, os agricultores só deixarão o local quando as exigências forem atendidas. O MST também ocupou a Curva do S, em Eldorado dos Carajás, onde 19 sem-terra foram mortos pela PM em 1996. Cerca de 500 manifestantes fecharam estradas na região, protestando contra a impunidade dos policias militares. Segundo José Batista Afonso, coordenador da CPT em Marabá, durante o governo Lula foram desapropriadas somente duas fazendas na região. "Há cerca de 12 mil famílias acampadas às margens de fazendas ou rodovias nas regiões sul e sudeste do Estado".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.