Incra compra fazenda que já foi invadida pelo MST no PR

Instituto investiu cerca de R$ 10 milhões na área de 889 hectares onde serão assentadas 106 famílias

EVANDRO FADEL, Agencia Estado

16 de abril de 2009 | 14h40

O Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) no Paraná anunciou ter encerrado nesta quinta-feira, 16, o processo de compra da Fazenda Cajati, em Cascavel, no oeste do Paraná, onde devem ser assentadas 106 famílias.

 

Com essa aquisição, o órgão atende a uma das principais reivindicações do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra (MST) na região. A fazenda foi invadida em 1999, mas, com as negociações para a compra sendo realizadas, os sem-terra deixaram o local em 2004 e montaram o Acampamento Dorcelina Folador nas imediações, um lugar comumente utilizado para as manifestações do movimento.

 

O Incra investiu cerca de R$ 10 milhões, dos quais R$ 90,2 mil pagos em moeda corrente, devido às benfeitorias, e o restante por meio de Títulos da Dívida Agrária (TDA), com prazo de resgate até 2012.

 

Com 889 hectares disponíveis para a reforma agrária, a fazenda era propriedade da empresa Imapar-Cajati Reflorestamentos e Agricultura. A compra deveria ter sido concretizada já em novembro de 2005. No entanto, vários entraves burocráticos vinham dificultando o negócio, o que levou a proprietária a cogitar a desistência. A compra foi feita com base no Decreto 433, de 24 de janeiro de 1992, que permite a aquisição de imóveis considerados de interesse social, mas não passíveis de desapropriação.

Tudo o que sabemos sobre:
terraIncraMSTPR

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.