Incra cancela registro de terras griladas

O Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) está cancelando o registro de 54 mil hectares de terra que estavam em poder de uma empresa sediada no Paraná e sobrepostas a vários projetos de assentamentos. Este é o primeiro caso concreto em que o governo age contra a grilagem no País. Há duas semanas, o Tribunal de Justiça do Amazonas anunciou um levantamento de outras áreas que podem também ter os registros cancelados.Os 54 mil hectares pertenciam apenas no papel à Caribean Lumber Internacional, uma empresa supostamente de fachada que agia não só na cidade de Acrelândia, mas em outros municípios do Acre, como em Senador Guiomard, onde chegaram a registrar a propriedade como Fazenda Horizonte. O Incra comprovou que a área está em cima dos projetos de assentamentos Porto Dias, Orion, São João do Balanceiro, Santo Antônio do Peixoto e nos limites dos seringais Triunfo e Porto Luiz, que estão sendo desapropriados para a reforma agrária. Há duas semanas, o Estado tentou ouvir a empresa no Paraná, mas foi informado que a Caribean deixou de funcionar há dois anos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.