Incra cadastra brasiguaios na fronteira com o MS

Começou no Mato Grosso do Sul o cadastramento das famílias de produtores e trabalhadores rurais brasileiros que estão sendo expulsas por grupos armados não identificados do Paraguai. A informação é do superintendente do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), Waldir Cipriano Nascimento. O trabalho de inclusão social será feito em 800 quilômetros de fronteira seca do extremo sul do Estado.

JOÃO NAVES DE OLIVEIRA, Agência Estado

06 Maio 2010 | 13h23

"A urgência urgentíssima é alimentação. Entre eles existem famílias doentes, famintas e a maioria sem qualquer documento, nem mesmo registro de nascimento. Iniciamos o processo de inclusão social com o cadastramento dos brasiguaios, o que de imediato já permite ter a dimensão da quantidade de cestas de alimentos que o Incra fornecerá para cada grupo familiar, e futuramente o assentamento em lotes da reforma agrária, concluindo o ciclo da inclusão social".

A iniciativa surgiu de uma reunião ocorrida ontem em Brasília com o ministro do Desenvolvimento Agrário, Guilherme Cassel, e o presidente do Incra, Rolf Hackbart. Esteve presente a prefeita de Itaquiraí, Sandra Cassone (PT), que reclamou que o município está recebendo a maior parte das famílias que chegam do país vizinho. Segundo ela, desde o início do ano, apenas no acampamento do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra (MST) instalado nas duas margens da BR-163, chegaram mais de 400 famílias do Paraguai.

Mais conteúdo sobre:
Incra brasiguaios MS inclusão social

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.