Incor acata exigências para obter ajuda do governo

O governador de São Paulo, José Serra (PSDB), afirmou nesta terça-feira que o conselho deliberativo da Fundação Zerbini, mantenedora do Hospital do Coração (Incor), acatou as principais exigências do governo quanto às mudanças necessárias para sanear a crise financeira que o Incor atravessa. Serra disse que o Estado vai assumir a dívida com o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), mas não entrou em detalhes, argumentando que as negociações estão em andamento.As principais medidas definidas pelo conselho são: redução de 70% no número de funcionários administrativos da fundação, criação de um teto salarial máximo na fundação para seus funcionários e servidores do Incor, equivalente ao teto salarial do funcionário público paulista e proibição de atividades fora do Estado, como a desenvolvida no Incor de Brasília. O governador disse que o corte de funcionários não vai afetar o atendimento médico porque será feito, basicamente, no setor administrativo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.