Abert / Reprodução
Abert / Reprodução

Imprensa sofre 11 mil ataques diários nas redes sociais, diz Abert

Relatório mapeia 4 milhões de postagens negativas ao jornalismo em 2019; é a primeira vez que levantamento analisa ataques virtuais

Bianca Gomes, O Estado de S.Paulo

11 de março de 2020 | 21h58

SÃO PAULO - A imprensa brasileira sofreu quase 11 mil ataques diários pelas redes sociais, uma média de 7 agressões por minuto, segundo o relatório Violações à Liberdade de Expressão, da Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão (Abert), em parceria com a consultoria Bites.

É a primeira vez que o levantamento inclui um capítulo sobre os ataques virtuais. O estudo mapeou 4 milhões de postagens negativas contra a imprensa brasileira no Twitter em 2019, equivalente a 10% de tudo o que foi produzido no ano sobre a área de comunicação profissional no Brasil.

“Em toda sua história, nunca os profissionais e empresas de comunicação foram tão agredidos por exercerem a missão vital do bom jornalismo: a de manter uma visão crítica e independente”, escreve no relatório o presidente da Associação, Paulo Tonet Camargo.

O maior volume de críticas no ano passado veio de perfis e sites classificados como “mais conservadores”. Estes foram responsáveis por 3,2 milhões de posts, média de 9 mil ataques por dia, 6 agressões por minuto, segundo o estudo. “Repórteres que publicaram matérias críticas ao governo se tornaram alvos de ataques virtuais, promovidos por robôs e apoiadores governistas”, diz o documento.

Já perfis e sites associados à esquerda foram responsáveis por 714 mil posts no ano passado, média de 1,9 mil ataques por dia, ou 1 agressão por minuto.

O relatório da Abert registrou ainda 56 casos de violência não-letal, que envolveram pelo menos 78 profissionais e veículos de comunicação. As agressões físicas continuam em primeiro lugar, com 24 casos em 2019 envolvendo 30 vítimas, uma redução de 38,46% em relação a 2018.

Os principais alvos foram os profissionais de rádio e TV do sexo masculino. A região Sudeste registrou o maior número de ocorrências. Os autores das agressões foram, principalmente, os políticos ou ocupantes de cargos públicos. Em seguida, estão jogadores, torcedores e técnicos nas coberturas esportivas.

Os posts do presidente Jair Bolsonaro

Outro relatório, Redes Sociais e a Mídia em 2019, produzido pela Bites, aponta que dos 5.708 posts publicados pelo presidente Jair Bolsonaro ano passado, 432 posts tinham críticas, insinuações e advertências sobre o trabalho dos veículos e jornalistas. De acordo com este levantamento, o PSL e o PT foram as legendas na Câmara dos Deputados que mais falaram da mídia em 2019. Do total de 4.506 posts sobre imprensa no período, 1.575 foram do PSL e 1.156 do PT.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.