''Imprensa já não tem o poder que tinha'', diz presidente

Lula afirma que, antes da internet, detentores da informação ?podiam dar golpe de Estado?

Elder Ogliari, O Estadao de S.Paulo

27 de junho de 2009 | 00h00

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse ontem que a humanidade vive um momento revolucionário por causa das transformações que a internet trouxe à comunicação. "A imprensa já não tem o poder que tinha há alguns anos atrás", avaliou, para afirmar que "a informação já não é mais uma coisa seletiva" como quando seus detentores "podiam dar um golpe de Estado". O discurso, feito aos participantes do 10º Fórum Internacional do Software Livre, em Porto Alegre, foi aplaudido diversas vezes.Segundo Lula, noticiários eletrônicos da noite já estão velhos no dia seguinte. "O jornal (impresso) fica tão velho que todos os jornais criaram blogs para informarem seus leitores junto com os internautas do mundo inteiro". Embora o presidente não tenha tocado no assunto, a ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, e titular da Comunicação Social, Franklin Martins, confirmaram que o governo vai criar o Blog do Planalto, em cerca de 30 dias. "O objetivo é se comunicar com uma parcela da sociedade que hoje em dia se informa basicamente pela internet", disse Martins, que rejeitou a comparação com o blog criado pela Petrobrás, para divulgar informações que repassa aos jornalistas.Lula aproveitou o evento para criticar o projeto do senador Eduardo Azeredo (PSDB-MG) que prevê a possibilidade de identificar usuários da internet. "É policialesco fazer uma lei que permite adentrar nas casas para saber o que as pessoas estão fazendo", disse Lula. A visita ao Fórum de Software Livre foi o segundo compromisso de Lula em Porto Alegre. Antes ele foi ao bairro Bom Jesus, para anunciar a criação de mais um Território da Paz, do Programa Nacional de Segurança com Cidadania (Pronasci). A maratona prosseguiu à noite, na inauguração do novo parque gráfico da RBS, onde o presidente retomou o tema da imprensa. Dessa vez, encerrou a cerimônia com um elogio. "O exercício da democracia feito pela imprensa brasileira é possivelmente o maior sustentáculo para que a gente continue errando, sendo criticado e consertando os nossos erros."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.