Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

Impeachment neste momento é golpe à ordem constitucional, diz Pepe Vargas

O ministro-chefe da Secretaria de Direitos Humanos afirmou que Dilma não cometeu nenhum crime de responsabilidade e que um governo não deve ser mantido ou extinto com base em índices de aprovação

Danielle Villela, O Estado de S. Paulo

24 de julho de 2015 | 12h21

RIO - O ministro-chefe da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República, Pepe Vargas, afirmou nesta sexta-feira, 24, que qualquer discussão sobre impeachment da presidente Dilma Rousseff neste momento deve ser considerada como golpe. Vargas participa no Rio de cerimônia de entrega oficial dos documentos da Comissão Nacional de Verdade (CNV) ao Arquivo Nacional.

"Impeachment neste momento é um golpe à ordem constitucional. Não tem nenhum crime de responsabilidade da presidente da República. Tu não mantém ou tira um governo pelo índice de aprovação ou não desse governo", afirmou ao ser questionado sobre um eventual encontro entre a presidente Dilma Rousseff e os ex-presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Fernando Henrique Cardoso para discutir a crise política. 

Vargas também considerou "equivocada" a postura do presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB) de responsabilizar o governo federal pela citação do seu nome nas investigações da Operação Lava Jato.

"Não tem sentido ele achar que o governo tem poder de colocar ou tirar alguém de uma lista investigatória ou de um indiciamento. É um equívoco da parte dele querer atribuir ao governo uma ação de desestabilização da figura dele", disse.


Tudo o que sabemos sobre:
Pepe VargasimpeachmentDilma

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.