Impasse dá impressão de que não se quer CPI, diz Garibaldi

PT na Câmara questiona acordo feito para que a presidência da CPMI fique com o PSDB

Agência Brasil

29 de fevereiro de 2008 | 18h05

O impasse em torno da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) dos Cartões Corporativos pode passar a impressão de que "não se quer investigar", disse o presidente do Senado, Garibaldi Alves Filho (PMDB-RN). Dessa vez, o PT na Câmara questiona acordo feito para que a presidência da CPMI fique com o PSDB e decidiu brigar pelo cargo. "É preciso demonstrar para o PT que se quer investigar o caso. Essa confusão já está dando a impressão de que ninguém quer apurar, quer é brigar", disse.   Veja também: Entenda a crise dos cartões corporativos  Jarbas recusa convite do PSDB para presidir CPI dos cartões Após leitura, Senado instala CPI mista dos cartões Acordo dá presidência da CPI mista dos cartões ao PSDB  Apesar da resistência dos petistas na Câmara, no Senado a líder do partido indicou na quinta as senadoras Fátima Cleide (RO) e Serys Slhessarenko (MT) como titulares da comissão. O presidente do Senado deu prazo até terça-feira (4) para que todos os partidos indiquem os integrantes da CPMI. Mesmo assim, o líder do PT na Câmara, Maurício Rands (PE), afirmou que terá conversas com o líder do governo no Senado e na Câmara para tentar brigar pela vaga de presidente da CPMI. Atualmente, o PT tem a vaga de relator, que coube ao deputado Luiz Sérgio (RJ).

Tudo o que sabemos sobre:
CPI dos cartõescartões corporativos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.