Impa terá de pagar R$ 2,6 milhões a oito pesquisadores

A reivindicação de oito funcionários do Instituto de Matemática Pura e Aplicada (Impa), que ganharam na Justiça do Trabalho R$ 2,6 milhões, pode prejudicar os estudos desenvolvidos pelos 35 pesquisadores da instituição, a mais importante da América Latina e uma das maiores do mundo. Para pagar a dívida, a Justiça determinou que a sede do Impa, no Horto (zona sul), seja leiloada no dia 13 de novembro.O grupo se sentiu prejudicado quando o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) decidiu revogar a decisão de 1986 que autorizava a promoção de pesquisadores por antigüidade no cargo. O caso vem se arrastando há anos e o CNPq perdeu em todas as instâncias. A AGU está estudando que medidas jurídicas tomar para evitar o leilão, embora a sentença já tenha transitado em julgado. Hoje, o diretor do Impa, Cesar Camacho, foi a Brasília tentar uma solução e conseguiu do ministro da Ciência e Tecnologia, Roberto Amaral, o compromisso de pagar a dívida. O ministro autorizou um depósito judicial no Banco do Brasil no valor da causa ganha pelos funcionários. A data, porém, não foi divulgada.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.