Igualdade Racial não virou ministério, esclarece Planalto

Lula assinou nesta quarta, na verdade, MP que estabelece que o ocupante da pasta é ministro de Estado chefe

LEONENCIO NOSSA, Agencia Estado

20 de fevereiro de 2008 | 16h26

O Palácio do Planalto esclareceu nesta quarta-feira, 20, que a Secretaria Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (Seppir) não virou ministério.  Durante a posse do novo ministro, Edson Santos, o  presidente Luiz Inácio Lula da Silva assinou, na verdade, uma medida provisória que estabelece que o ocupante da pasta é ministro de Estado chefe. Com isso, o deputado não precisará renunciar ao mandato parlamentar. A mudança do nome do cargo é para não haver dúvidas jurídicas, segundo assessores.   Veja também:   Entenda a crise dos cartões corporativos   Jucá estuda propor que PSDB presida CPI dos Cartões Oposição protocola CPI exclusiva do Senado nesta terça Lula: 'Não tenho tempo a perder com CPI'  Ao dar posse a Santos, em solenidade no Palácio do Planalto, o próprio Lula havia dito que a secretaria tinha sido transformada em ministério. Foi quando a platéia, integrada por representantes do movimento negro, cantou "olê, olê, olá, Lula, Lula, Lula". Em seguida o presidente disse "o problema é que agora a Secretaria das Mulheres, a da Pesca e a dos Direitos Humanos vão reivindicar a mesma coisa", brincou o presidente. O documento que Lula assinou, no entanto, deixa claro que a Secretaria da Igualdade Racial continua na mesma categoria das Secretarias das Mulheres, da Pesca e dos Direitos Humanos, ainda que todas elas tenham status de ministério.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.