Igreja vai debater a caridade cristã

O cardeal-arcebispo de São Paulo, d. Cláudio Hummes, convidará professores e especialistas da USP, PUC e outras universidades da capital para debater a caridade cristã, tema de um seminário que a Arquidiocese de São Paulo promoverá em junho, em parceria com as dioceses de Campo Limpo, Santo Amaro e São Miguel Paulista. O objetivo é fazer uma análise científica e sociológica da ação da Igreja no campo assistencial."Pretendemos avaliar a eficácia de nossa solidariedade e envolver amplos setores da sociedade nessa discussão, com a participação de especialistas que possam dar sua contribuição", disse d. Cláudio. Os responsáveis pelas obras sociais farão um balanço de seu trabalho para verificar se não há desperdício de recursos por falta de planejamento e coordenação.O arcebispo promete incluir na programação do seminário um debate sobre políticas públicas, com a participação de representantes do Estado e da Prefeitura de São Paulo. "Não temos uma fórmula pronta, mas queremos dar nossa contribuição, melhorando a presença da Igreja na periferia para enfrentar os problemas mais agudos da comunidade, como a questão dos moradores de rua, trabalho, moradia, emprego e trabalho", adianta d. Cláudio.O combate às drogas e a assistência aos dependentes, tema da Campanha da Fraternidade da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), nesta Quaresma de 2001, também serão discutidos no seminário. Paróquias, pequenas comunidades e grupos de reflexão discutirão os itens propostos em suas regiões, nas quatro dioceses da capital, de modo que possam levar propostas e conclusões preliminares ao seminário, em junho."Solidariedade e justiça são traduções da caridade no dia a dia, mas essa virtude cristã é mais ampla, porque envolve também o perdão", observa d. Cláudio. Isso significa, segundo o cardeal, que a caridade, sinônimo de amor ao próximo, deve mover todas as ações e obras sociais da Igreja. Os responsáveis pelas entidades assistenciais serão convidados a meditar sobre o sentido cristão de seu trabalho.Uma das medidas que o cardeal pretende tomar para aumentar a eficiência das instituições mantidas pela arquidiocese será a centralização dos recursos financeiros. "Estamos centralizando os caixas, de modo a partilhar melhor os bens de que dispomos no orçamento", anuncia d. Cláudio.Será uma maneira de os setores mais equipados socorrerem os mais pobres. Moradores e meninos de rua abrem a lista de prioridades.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.