Igreja quer plebiscito sobre reestatização da Vale

Igreja e representantes de movimentos populares querem realizar um "plebiscito educacional" sobre uma reestatização da Vale do Rio Doce. A idéia foi lançada na quinta-feira, em uma reunião da Assembléia Social. Uma consulta semelhante já foi promovida pela Igreja, sobre a Alca. Na ocasião, o "plebiscito" recebeu 10 milhões de votos."Queremos questionar como foi feito o leilão da Vale. Permanecem ações no Judiciário questionando a forma como a privatização foi feita. É preciso ter coragem para conferir o que foi feito", afirmou o presidente da Caritas, d. Demétrio Valentini.Para ele, foi providencial que o governo tenha colocado "freios" na onda de privatização instalada durante o governo de Fernando Henrique Cardoso. Ele ressaltou que a CNBB não está contra a empresa. "Vemos na Vale do Rio Doce um ótimo instrumento dos movimentos sociais para que eles se articularem, para repensarmos o que está em jogo", afirmou. Ele disse, no entanto, preferir que privatizações não fossem consideradas irreversíveis. "Faz parte da soberania de um país rever situações e retomar a responsabilidade pública."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.