Igreja evangélica tenta esclarecer morte de missionária

O presidente da Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil (IECLB), pastor Walter Altmann, parte nesta sexta-feira da cidade de Beira, no centro de Moçambique, para Nampula, no norte do país, para tentar obter informações sobre o assassinato da missionária gaúcha Doraci Julita Edinger, diaconisa da IECLB. Ele vai acompanhar também a autópsia do corpo, que deveria ter sido feita nesta quinta no Hospital Central de Nampula, mas foi transferida para hoje. O pastor Walter Altmann está em Beira para um encontro anual de grupos que apóiam a Igreja Luterana, onde também encontraria a irmã Doraci. Desde o início de fevereiro, a missionária vinha manifestando ansiedade em conversar com o presidente da IECLB. "No último telefonema, Doraci manifestou preocupação com sua segurança, mas não claramente. Depreendi que o trabalho dela erabastante exigente em termos de esforço físico e atribuí também à vontade de nos encontrarmos", revelou o pastor Walter Altman. Os familiares que vivem em Novo Hamburgo (RS) requereram o traslado do corpo de Irmã Doraci para o Brasil, mas ainda não hádata prevista. O pastor entende que as circunstâncias criminais em que a irmã Doraci foi morta demandam tempo, mas espera que o motivo do crime seja esclarecido.A irmã Doraci foi encontrada morta, com indícios de violência sexual, em seu apartamento na cidade de Nampula, na últimaterça-feira, onde prestava serviços pastorais e sociais para comunidades pobres há cinco anos e deveria terminar o contrato de serviço no meio deste ano.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.