Igreja e MST esperam 10 mil em romaria no Pontal

A Igreja Católica e o Movimento dos Sem-Terra (MST) esperam reunir 10 mil pessoas amanhã, no município de Rosana, Pontal do Paranapanema, para a primeira Romaria da Água, do Pão e da Terra. São aguardadas caravanas de todos os acampamentos e assentamentos de sem-terra do interior do Estado. Os organizadores confirmaram a presença do bispo d. Tomás Balduino, presidente da Comissão Pastoral da Terra (CPT) da Igreja. Dois bispos da região, d. José Maria Libório Sarachio, de Presidente Prudente, e d. Maurício Grotto, de Assis, participam das celebrações. As comitivas reúnem-se às 7h em Porto Primavera, distrito de Rosana, e seguem em carreata até o Assentamento Nova Pontal, onde ocorre a primeira celebração, denominada mística da terra, a cargo do MST. Em seguida, os participantes caminham até a margem do Rio Paranapanema para a celebração da mística da água a cargo da CPT. De volta ao assentamento, os jovens realizam a mística do pão, partilhando alimentos. Segundo o padre Fernando Doren, missionário do Verbo Divino de Rosana, o ato tem como objetivo a defesa da terra livre, da água pura e do alimento para todas as pessoas. Estão previstas manifestações contra a prisão dos líderes do MST, José Rainha Júnior e Felinto Procópio, presos na penitenciária de Presidente Venceslau. O Pontal foi escolhido para a celebração porque a região concentra latifúndios. "A distribuição da terra nessa região é injusta", disse o padre. Os acampamentos do MST no Pontal colocarão ônibus cedidos ou fretados à disposição dos acampados. Só do acampamento Jahir Ribeiro, organizado por Rainha, seguirão para Rosana 20 ônibus.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.