Identificados 2 casos de malária em SP

A Sucen (Superintendência de Controle de Endemias) identificou dois casos de malária no litoral norte paulista. Segundo a diretora da Sucen na região, Celeste de Andrade, a doença foidiagnosticada nesta sexta-feira em duas pessoas de São Sebastião. Os pacientes tiveramfebre alta e procuraram o serviço municipal de saúde.Na tarde desta sexta-feira, eles começaram a receber o tratamento. ?As duas pessoas são moradores de Maresias e devem ter contraído a doença em contato com a mata.? A médica sanitarista ressalta que o mosquito Anópheles, transmissor da doença, viveem matas fechadas, dentro de bromélias e troncos de árvores e que os praticantes detrilhas estão mais sujeitos à doença.Para ela, o número de casos é comum nesta época do ano, quando os mosquitos aumentam e a quantidade de turistas nas matas também. A Sucen está fazendo um levantamento em toda a região do Litoral Norte e Serra da Mantiqueira para descobrir novos casos. ?Infelizmente já alguns casos acontecem. No ano passado houve apenasum nesta mesma região.?A malária não é contagiosa e pode ser evitada com o uso de repelentes quando em contato com matas fechadas. ?Para estar próximo às matas é preciso usar repelente, vestir-se com calça e blusa de manga comprida e ainda evitar períodos como oentardecer, quando o mosquito age?, diz a médica.Os principais sintomas são febre alta repentina e intermitente, calafrios e sudorese intensa. A médica alerta que as pessoas que tiverem esses sintomas devem procurar um serviço de saúdeimediatamente.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.