Ideli: votação da DRU não está amarrada à Emenda 29

Após uma rodada de reuniões com o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), e lideranças do PMDB e do PT, a ministra das Relações Institucionais, Ideli Salvatti, foi taxativa quanto à impossibilidade de acordo com a oposição no tocante à votação da prorrogação da Desvinculação das Receitas da União (DRU). "Não temos acordo com a oposição, uma coisa não está amarrada à outra", afirmou, rejeitando a proposta do PSDB e DEM de atrelar a votação da DRU à regulamentação da Emenda 29, que amplia o repasse de recursos à saúde.

ANDREA JUBÉ VIANNA, Agência Estado

23 de novembro de 2011 | 17h40

Ontem o líder do PSDB, Álvaro Dias (PR), havia proposto ao governo um acordo de procedimentos, condicionando a não obstrução da votação da DRU no Senado à apreciação, em primeiro lugar, do projeto que regulamenta a Emenda 29. A matéria tramita em regime de urgência e aguarda votação no plenário do Senado, mas não tem o apoio do governo.

Desta forma, o Planalto está determinado a partir para o enfrentamento com a oposição no Senado, a fim de aprovar a prorrogação da DRU até 2015 e garantir a promulgação da emenda constitucional até 31 de dezembro. Segundo Ideli, Sarney garantiu-lhe a viabilidade de concluir a tramitação da proposta no Senado antes do feriado do Natal, evitando a autoconvocação do Congresso durante o recesso, que começa no dia 22 de dezembro.

Tudo o que sabemos sobre:
DRUEmenda 29Ideli

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.