Ideli vai à Câmara dia 23 explicar compra de lanchas

A Comissão de Fiscalização e Controle da Câmara dos Deputados marcou para o próximo dia 23 o depoimento da ministra de Relações Institucionais, Ideli Salvatti, para explicar a compra de lanchas pelo ministério da Pesca e Aquicultura, na época em que ela estava no comando da pasta. A ida de Ideli foi acertada entre a ministra e o presidente da comissão, deputado Edmar Arruda (PSC-PR). O depoimento será às 10h da manhã.

RICARDO BRITO, Agência Estado

09 Maio 2012 | 11h34

A convocação da ministra, aprovada por oito votos a favor e sete contra há cerca de um mês, contou com o apoio decisivo de deputados da base aliada, insatisfeitos com a demora na liberação de verbas de emendas de parlamentares.

"Foi uma compra absolutamente fora de qualquer normalidade", afirmou o deputado Vanderlei Macris (PSDB-SP), autor do requerimento de convocação, que não acredita no esfriamento do depoimento por causa da CPI do Cachoeira, que está tomando as atenções da opinião pública. "É importante esclarecer a compra, uma vez boa parte dos pagamentos foi na gestão dela."

O caso do contrato de compra das 28 lanchas-patrulha foi revelado pelo jornal O Estado de S.Paulo. As lanchas foram encomendadas por R$ 31 milhões pelo Ministério da Pesca em 2009, e parte da conta - R$ 5,2 milhões - foi paga já na gestão da ministra. O contrato é alvo de suspeitas levantadas pelo Tribunal de Contas da União (TCU). Fiscalizar a pesca ilegal não está entre as atribuições do ministério. Desse total de embarcações, pelo menos 23 ainda não entraram em operação ou estão com avarias no pátio da empresa, na Grande Florianópolis.

Só 3 de um total de 28 lanchas estavam em funcionamento no segundo semestre do ano passado. A licitação ocorreu na gestão de Altemir Gregolin, que ocupou o cargo de 2006 a 2010.

Mais conteúdo sobre:
Ideli lanchas

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.