Ideli: médicos recomendaram a Dilma que reduza ritmo

A nova líder do governo no Congresso Nacional, Ideli Salvatti (PT-SC), disse que os médicos que acompanham a ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, em São Paulo, recomendaram que ela diminua o ritmo de trabalho. "A preocupação é nos momentos posteriores da quimioterapia com agenda", disse Ideli. Questionada se a ministra poderia se afastar de suas atividades, Ideli disse que não.

TÂNIA MONTEIRO, Agencia Estado

19 de maio de 2009 | 12h41

Boletim médico divulgado pelo Hospital Sírio-Libanês hoje informa que Dilma está com uma inflamação no músculo (miopatia) dos membros inferiores provocada pelo tratamento de quimioterapia. A ministra, que se trata de um câncer linfático, está tomando analgésicos e seu estado de saúde é estável, porém não há previsão de alta.

Mais conteúdo sobre:
DilmainternaçãoIdeli

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.