Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Ideli: Manifestações devem respeitar 'ordem e progresso'

A ministra-chefe da Secretaria de Relações Institucionais, Ideli Salvatti, disse nesta quinta-feira que as manifestações que tomam conta do País devem respeitar o lema da nossa bandeira - ordem e progresso. A própria presidente Dilma Rousseff já havia recorrido ao lema "ordem e progresso" ao discursar no início do mês, quando caminhoneiros bloqueavam acesso a rodovias.

RAFAEL MORAES MOURA, Agência Estado

11 de julho de 2013 | 15h31

Segundo Ideli, as manifestações devem ser democráticas, pacíficas e seguir a legislação. "Tenho a certeza que alguma providência (do governo federal) deve ter sido ordenada como já foi anteriormente, a questão de fechamento de rodovias, do direito de ir e vir, alguma coisa deve ter sido orientada, até porque ela (presidente Dilma), de forma pública, expressou (que as manifestações devem servir para o) fortalecimento da democracia, sim, mas respeitando o lema da nossa bandeira, ordem e progresso", disse a ministra. Centrais sindicais têm uma agenda intensa de manifestações para esta quinta, o "Dia Nacional de Lutas".

Plebiscito

Para a ministra, a decisão do Congresso Nacional de não apoiar um plebiscito sobre reforma política válido para as eleições de 2014 deve ser respeitada, mas a população levará o assunto a debate. "O Congresso Nacional foi acionado por uma sugestão da presidenta, que era ouvir a população, para que ela possa expressar o que deseja que seja modificado, para ela se sentir melhor representada, e o Congresso é soberano para decidir o que fazer, como fazer, em que momento fazer. E desta forma tem de ser respeitado porque é a prerrogativa constitucional que a legislação sobre questões eleitorais é o Congresso que tem (que definir)", disse Ideli. "É claro que num processo eleitoral futuro isso entrará no debate, a população não deixará de debater se ela foi devidamente ouvida, atendida ou não."

Tudo o que sabemos sobre:
protestosIdeli

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.