Idéias de nova imagem para os políticos de sempre

Especialistas ?remodelam? Kassab, Alckmin e Marta; para ACM Neto, sugestão é de salto alto

O Estadao de S.Paulo

16 de fevereiro de 2008 | 00h00

O prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab (DEM), foi aconselhado a retirar pequenas bolsas de gordura abaixo dos olhos e se submeter a aplicações de botox, além de fazer uma reconstrução dos sulcos da face e da boca, sem necessidade de licitação. Um dos nomes do PSDB para disputar a Prefeitura de São Paulo em outubro, o ex-governador Geraldo Alckmin é um bom candidato a microimplante capilar e correção de pés de galinha. A única mulher cotada, até aqui, para a disputa na capital paulista, a ex-prefeita e atual ministra do Turismo, Marta Suplicy (PT), precisa renovar o botox e dar um volume generoso às bochechas.Brincadeiras de mau gosto? Nada disso. Essas são as sóbrias recomendações do cirurgião plástico Fábio Cunha, de Brasília, médico de dezenas de deputados e senadores, políticos preocupados com a imagem. A pedido do Estado, Cunha analisou a estampa dos principais candidatos a comandar a maior cidade do País.As sugestões de mudança no visual dos políticos não vieram apenas de um profissional de cirurgia plástica. Especialista em aparência, a professora e consultora de moda Suzy Okamoto também analisou o estilo e o comportamento dos pré-candidatos à prefeitura paulistana. "Os políticos, de modo geral, insistem em cortes de cabelos inapropriados", anotou Suzy, ao analisar Kassab. Por "inapropriado" se entende, segundo ela, os cortes ultrapassados, fora de época. Marta também foi alvo de críticas. "O cabelo com muito fixador fica fake demais."Não basta apenas cuidar do corpo. Entre os conselhos, a consultora de moda apontou a necessidade de a ministra renovar o guarda-roupa. "A prefeita é muito elegante, mas igualmente rígida. Ela ganharia mais votos se ficasse mais feminina e mais delicada." Suzy ainda recomendou à ex-prefeita acessórios, especialmente brincos pequenos e de pingente, que dariam "um certo balanço". E mais: "Falta profundidade aos looks dela. Ela pode mudar as texturas para aproximar mais do olhar."Ao avaliar o estilo de Alckmin, Suzy sugeriu uma ida rápida a uma ótica. "Ele precisa mudar os óculos. Os dele parecem os do Maluf", advertiu. "Óculos mais arrojados fariam a diferença, criariam foco no rosto, desviando a atenção dos parcos cabelos."Enganam-se, porém, os que acreditam que as dicas de estilo e as recomendações para procedimentos estéticos valem apenas para políticos com mais de 40 anos. Segundo Fábio Cunha, é muito comum homens e mulheres com apenas 30 anos recorrerem a uma dezena de métodos diferentes, incluindo o botox.Pré-candidato à Prefeitura de Salvador, o deputado ACM Neto (DEM) tem apenas 29 anos. Passou no crivo do cirurgião plástico, mas ganhou algumas dicas de Suzy. Ela sugere que ele deixe de ser "um jovem com aparência de velho". Explicou: "Elegância não é sinônimo de grife e tampouco parecer sisudo."A especialista recomendou que ACM assuma a baixa altura que tem (menos de 1,70) e utilize - "Por que não?" - sapatos com salto. "O salto levemente alto, até para os homens, é questão de estilo. E isso é histórico."Suzy aconselhou ACM Neto a mudar o corte de cabelo e o dos ternos. "A impressão que se tem é de que usa ternos muito maiores que ele e tudo muito escuro. É possível vestir de uma forma mais jovem. Um terno bem cortado e levemente mais curto que o tradicional com uma camisa de padronagem diferente o deixaria mais jovem e faria toda a diferença", opinou.A preocupação com a imagem virou uma obsessão entre os políticos. Roberto Jefferson (PTB), deputado cassado que denunciou o escândalo do mensalão, estava entre os parlamentares da chamada bancada metrossexual quando circulava pelo Congresso. Outras duas figuras consideradas vaidosas entre os políticos são os senadores tucanos Arthur Virgílio (AM) e Álvaro Dias (PR).Virgílio é adepto da procaína, anestésico que virou febre na década de 80 e é recomendado, principalmente, por médicos geriatras. Não há comprovação científica do benefício da droga, mas os adeptos asseguram que ela "aumenta o pique" e dá sensação de bem-estar. Dias é considerado um dos congressistas mais estilosos, por ter sido um dos pioneiros do implante capilar em careca de político. Além disso, se preocupa com a pele do rosto e com o seu vestuário. Quando o assunto é calvície, além de Dias, recentemente também recorreram a um microimplante capilar o ministro das Relações Institucionais, José Múcio Monteiro, e o ex-ministro da Casa Civil e deputado cassado José Dirceu (PT-SP). Foram atendidos por um especialista do Recife.A preocupação com a imagem chegou também ao presidente do Senado, Garibaldi Alves (PMDB-RN), tido como "caipira" pelos próprios colegas de Parlamento. Antes mesmo de assumir o comando da Casa, aderiu ao Pilates e renovou o guarda-roupa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.