Idealizador do VLS diz que programa precisa de verba

O brigadeiro Hugo de Oliveira Piva, um dos idealizadores do Veículo Lançador de Satélites brasileiro, disse que a falta de investimentos do governo federal no programa pode ter sido um dos causadores do acidente. Piva integrou a primeira equipe de pesquisa para o desenvolvimento do VLS, em 1969. Esteve a frente do programa por dez anos - deixando a coordenação do projeto para assumir a direção do Centro Técnico Aeroespacial (CTA), em São José dos Campos, em 1983. Hoje, na reserva, o brigadeiro continua lamentando a falta de recursos para a área. "A falta de verbas para o VLS é antiga. O Brasilinveste pouco no programa. Também faltam investimentos na aeronáutica, em equipamentos e profissionais", disse o brigadeiro em entrevista à TV Band Vale.Outra possibilidade apontada por ele é que a explosão do foguete no Centro de Lançamento de Alcântara tenha ocorrido por falha humana.Segundo ele, uma distração, um descuido podem ser trágicos. Ele explica que os instrumentos são delicados e no local há grande concentração desubstâncias inflamáveis. "Mas ainda é prematuro julgar." Sua única certeza é que se o programa recebesse mais verbas do governo, o riscode acidentes seria menor.Apesar da tragédia, Piva defende a continuidade do programa e lembra que países como os Estados Unidos, Rússia e França também tiveram inúmeros acidentes. Para ele, o Brasil não pode ficar fora de projetos em áreas como as de defesa e aeroespacial - consideradas estratégicaspara o desenvolvimento do País.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.