Ibope: Vantagem de Alckmin diminui em SP, mas tucano ainda venceria no 1º turno

Candidato do PSDB foi de 51% para 46%; já Mercadante passou de 20% para 22%; Celso Russomanno tem 8% das intenções de voto

Jair Stangler/SÃO PAULO, Estadão.com.br

10 de setembro de 2010 | 18h55

A vantagem do candidato ao governo de São Paulo Geraldo Alckmin (PSDB) sobre seu principal rival, Aloizio Mercadante (PT), diminuiu de 31 para 24 pontos porcentuais em São Paulo, de acordo com pesquisa Ibope/Estado/TV Globo. O tucano foi dos 51% registrados na semana anterior para 46% das intenções (58% dos votos válidos), enquanto o petista oscilou de 20% para 22% (27% dos votos válidos).

 

Celso Russomanno (PP) oscilou de 7% para 8%. Paulo Skaf (PSB) continua com 2%. Fábio Feldmann registrou 1%. Anaí Caproni (PCO), Paulo Búfalo (PSOL) e Mancha (PSTU) não pontuaram. Brancos e nulos são 10% e 11% estão indecisos.

 

Em um eventual segundo turno, Alckmin venceria com 54% dos votos contra 27% de Mercadante. Na espontânea, Alckmin aparece com 27%, Mercadante com 15%, Russomanno com 2% e Feldmann e Skaf com 1% cada um. Nesse cenário, 43% ainda estão indecisos.

 

Senado

 

A candidata Marta Suplicy (PT) continua na liderança, com os mesmos 36% da pesquisa anterior. Já seu companheiro de chapa, o cantor Netinho de Pauta (PCdoB) saltou de 26% para 33%. Aloysio Nunes Ferreira (PSDB) e Romeu Tuma (PTB) estão empatados com 16%. 33% estão indecisos e 25% declararam que irão votar em branco ou nulo.

 

Presidente

 

A petista Dilma Rousseff lidera a disputa em São Paulo, com 40% das intenções de voto, contra 32% de Serra. 13% disseram que pretendem votar em Marina Silva. Os demais não pontuaram. Brancos e nulos são 8% e 6% estão indecisos. No segundo turno, Dilma teria 46% e Serra, 39%.

 

A margem de erro é de 2 pontos porcentuais para mais ou para menos. Foram realizadas 1806 entrevistas entre os dias 7 e 9 de setembro. A pesquisa está registrada no TRE/SP sob protocolo nº 83153/2010 e no TSE sob protocolo nº 29062/2010.

 

Atualizada às 19h40

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.