Ibope aponta vitória de Wagner no 1º turno na Bahia

Pesquisa Ibope de intenção de voto na Bahia, divulgada no início da noite de hoje, aponta que o governador Jaques Wagner (PT) ganharia a eleição no primeiro turno, se a eleição fosse hoje. De acordo com o levantamento, Wagner teria 46% dos votos, ante 19% do ex-governador Paulo Souto (DEM), 11% do ex-ministro da Integração Nacional, Geddel Vieira Lima (PMDB), e 1% de Carlos Nascimento (PSTU).

TIAGO DÉCIMO, Agência Estado

06 de agosto de 2010 | 19h55

Segundo a pesquisa, os candidatos Luiz Bassuma (PV), Marcos Mendes (Psol) e Sandro Santa Bárbara (PCB) não pontuaram. Votos brancos e nulos somam 9% e de eleitores indecisos, 14%. O instituto divulgou que a margem de erro da sondagem é de 3%. Foram ouvidos 1.008 eleitores entre os dias 3 e 5 deste mês. A pesquisa foi registrada no Tribunal Regional Eleitoral (TRE) sob o número 26.769/2010.

A diferença entre Wagner e seus opositores é a maior registrada entre as pesquisas realizadas no Estado até o momento. Na semana passada, o Datafolha havia divulgado pesquisa na qual apontava que o governador tinha 44%, ante 23% de Souto e 12% de Geddel. Também divulgado na semana passada, levantamento feito pelo Vox Populi apontava liderança de Wagner (43%) das intenções de voto, seguido por Souto (21%) e Geddel (10%).

Rejeição

No quesito rejeição, a liderança, segundo o Ibope, é de Paulo Souto. Dos pesquisados, 26% disseram que não votariam no candidato. Ele é seguido por Bassuma (20%), Geddel (17%), Wagner (16%) e Santa Bárbara (15%). Marcos Mendes e Carlos Nascimento estão empatados no caso de rejeição, com 13%.

Na disputa pelas duas vagas no Senado pela Bahia, o Ibope aponta liderança de César Borges (PR), com 38% das intenções de voto. Em seguida, os mais citados foram Lídice da Mata (PSB), com 25%, Walter Pinheiro (PT), com 23%, José Ronaldo (DEM), com 10%, José Carlos Aleluia (DEM), com 7%, e Edvaldo Brito (PTB), com 4%. Os outros quatro candidatos somaram 8%.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.