Ibope: Alckmin cai cinco pontos e Mercadante sobe dois

O candidato do PSDB ao governo de São Paulo, Geraldo Alckmin, caiu cinco pontos porcentuais na pesquisa Ibope encomendada pelo jornal O Estado de S. Paulo e pela Rede Globo, divulgada hoje. O tucano aparece com 46% das intenções de voto, enquanto o petista Aloizio Mercadante subiu dois pontos e atingiu 22%.

AE, Agência Estado

10 de setembro de 2010 | 19h36

Na última sondagem do Ibope, divulgada no dia 3, Alckmin tinha 31 pontos porcentuais de vantagem sobre seu adversário petista. O tucano aparecia com 51% contra 20% de Mercadante, o que permitiria a eleição já no primeiro turno.

Celso Russomanno (PP) tinha 7% e agora aparece com 8%, Paulo Skaf (PSB) manteve 2% e Fabio Feldmann (PV), com 1%. Os demais candidatos ao governo de São Paulo não pontuaram. O total de votos brancos e nulos ficou em 10% e os que não sabem ou não responderam em quem vão votar, em 11%. Num eventual segundo turno, Alckmin venceria Mercadante por 54% contra 27% das intenções de voto. Mercadante tem 18% de rejeição, enquanto o tucano tem 15%.

Na eleição para o Senado, Marta Suplicy (PT) manteve a liderança com 36%. Na disputa pela segunda vaga paulista, Netinho de Paula (PCdoB) disparou e subiu sete pontos, para 33% das intenções de voto. O candidato Aloysio Nunes (PSDB) subiu de 12% para 16%, mesmo patamar de Romeu Tuma (PTB), que tinha 13% na pesquisa anterior.

Ciro Moura (PTC) tem 9%, Moacir Franco (PSL) tem 4% e Ricardo Young (PV), 2%. Orestes Quércia (PMDB) não foi incluído na pesquisa, uma vez que desistiu da disputa no início desta semana por problemas de saúde.

A sondagem foi realizada com 1806 eleitores entre os dias 7 e 9 de setembro. A margem de erro é de dois pontos porcentuais para cima e para baixo. A pesquisa foi registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o protocolo de número 29062/2010 e no Tribunal Regional Eleitoral (TRE-SP) sob o número 83153/2010.

Tudo o que sabemos sobre:
Eleições 2010pesquisaIbopeSP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.