IBGE nega pedido do governo para revisar dados sobre miséria

Instituto confirma ter sido acionado por ministério, mas sinaliza não haver intenção de rever informações e, por meio de nota, reafirma metodologia adotada em levantamento

Daniela Amorim , O Estado de S. Paulo

07 de novembro de 2014 | 14h16

Ampliado às 22h23

" SRC="/CMS/ICONS/MM.PNG" STYLE="FLOAT: LEFT; MARGIN: 10PX 10PX 10PX 0PX;" CLASS="IMGEMBED


Rio - O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) comunicou nesta sexta-feira, 7, que não fará revisão de dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) referente a 2013 após receber pedido de esclarecimentos do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS).

Os dados da pesquisa foram usados em uma análise do Instituto de Economia Aplicada (Ipea), que mostra um aumento no número de brasileiros que vive em extrema pobreza. Segundo o IBGE, os esclarecimentos já foram prestados ao ministério.

Representantes do Planalto questionaram a metodologia usada na pesquisa, que repercutiu fortemente no governo federal. A redução da miséria no País tem sido uma das principais vitrines dos governos Lula (2003-2010) e Dilma e foi uma das principais bandeiras da campanha petista neste ano.


“Queremos que o IBGE analise com mais profundidade a amostra porque todos os outros índices mostram que a pobreza caiu e que esse indicador de renda zero pode ter algum problema metodológico. De qualquer forma, os dados são para ser analisados, debatidos, com toda a transparência”, disse o ministro-chefe da Casa Civil, Aloizio Mercadante, na quinta.

Em nota, o IBGE informou que os métodos para os cálculos com a variável renda devem considerar possíveis flutuações anuais provenientes da amostra. Segundo o órgão, a Pnad 2013 manteve a metodologia de coleta como planejada e seus resultados não serão revisados.

“Por ser amostral, o total de indivíduos sem declaração de rendimentos tem flutuação anual diferenciada. Além disso, uma parcela também anualmente distinta dos informantes se recusa a prestar informação sobre a renda. Os métodos para os cálculos com a variável renda e as demais variáveis devem, portanto, considerar as possíveis flutuações existentes nas variáveis utilizadas”, diz trecho da nota.

 O instituto sugere que o ministério consulte o site para esclarecimento de dúvidas sobre cálculo de renda. “A metodologia não sofreu qualquer alteração e os microdados que permitem cálculos da renda estão disponíveis no site do IBGE.”

 

Tudo o que sabemos sobre:
misériaIpeaIBGE

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.