Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

Ibaneis fechará mais uma vez a Esplanada dos Ministérios neste domingo

Novo bloqueio repete estratégia para conter aglomerações durante a pandemia da covid-19

Felipe Frazão, O Estado de S.Paulo

20 de junho de 2020 | 16h03

BRASÍLIA - O governo do Distrito Federal decidiu fechar pela terceira vez a Esplanada dos Ministérios neste domingo, 21. O novo bloqueio repete a estratégia que vem sendo adotada pelo governador Ibaneis Rocha (MDB) para conter aglomerações durante a pandemia da covid-19 e impedir manifestações antidemocráticas de apoiadores do governo Jair Bolsonaro, com ameaças a instituições.

Há uma semana, o governo de Brasília removeu um acampamento do grupo bolsonarista autointitulado “300 do Brasil”, que estava há mais de um mês acampado na Esplanada e promovia bandeiras de viés autoritário. Durante a operação de desmontagem, o governador foi insultado, assim como policiais militares. Horas depois da remoção, integrantes do grupo tentaram invadir o Congresso Nacional e arremessaram fogos de artifício contra a sede do Supremo.

O grupo inclui extremistas como Sara Giromini, que adota a alcunha Sara Winter. Ela é ex-assessora de confiança da ministra Damares Alves (Mulher, Família e Direitos Humanos) e foi presa pela Polícia Federal no inquérito que apura ameaças a ministros do Supremo Tribunal Federal.

Durante a semana, o governador voltou proibir a circulação na Esplanada por causa de novas ameaças, desta vez ao bispo Marcony Ferreira e à Catedral de Brasília, onde o grupo fora desautorizado a se instalar pelo sacerdote.

Ao Estadão, Ibaneis já havia antecipado que pretendia continuar barrando o acesso às sedes de órgãos e à Praça dos Três Poderes. Congresso, Supremo e Planalto estão cercados por grades. “Não vou admitir baderna na minha cidade”, afirmou o governador, na última quarta-feira.

O bloqueio valerá a partir das 23h59 deste sábado, dia 20. A interdição vale durante todo o domingo. O trânsito de veículos ficará vetado na Esplanada a partir da Rodoviária. Os automóveis também não poderão acessar a via S2, entre o prédio do Anexo 4 da Câmara dos Deputados e a Procuradoria-Geral da República. O controle será feito pelo Departamento de Trânsito do Distrito Federal (Detran), Polícia Militar e Departamento de Estradas de Rodagem (DER).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.