Fernando Vivas/Estadão
Fernando Vivas/Estadão

IAB critica Geddel e interesses imobiliários em nota favorável ao Iphan

Instituto de Arquitetos do Brasil afirma já ter apresentado pedido de liminar pela suspensão da construção do edifício

O Estado de S.Paulo

21 de novembro de 2016 | 10h25

BRASÍLIA  - Em manifestação de apoio ao Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) e ao ex-ministro da Cultura Marcelo Calero, o Instituto de Arquitetos do Brasil (IAB) declarou que o desfecho do caso se deu por contrariar "explícitos interesses imobiliários pessoais de proprietário de parte do edifício a construir, integrante do alto escalão do governo federal".

O IAB se refere ao ministro Geddel Vieira Lima (Secretaria de Governo), acusado por Calero de fazer pressão pela liberação da construção de um imóvel em área tombada de Salvador.

Em nota assinada pelo presidente do IAB, Sérgio Magalhães, e pela secretária-geral do instituto, Fabiana Izaga, a entidade afirma que "a prática de influências na administração pública para proveito pessoal, com promiscuidade entre o interesse público e o interesse privado, em especial, no caso, em serviços de regulação e aprovação de obras com interferência sobre o Patrimônio Cultural e Arquitetônico nacional, torna ainda mais imperiosa a defesa da nomeação de técnicos experientes e qualificados para a direção do Iphan e de suas superintendências".

O IAB afirma que já apresentou um pedido de liminar contra a construção do edifício e teve três recursos indeferidos antes de procurar ajuda do Ministério Público Federal na Bahia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.