Humoristas levam ''noiva'' para Kassab

Modelo vai a colégio onde ele votou

Ricardo Brandt, SÃO PAULO, O Estadao de S.Paulo

27 de outubro de 2008 | 00h00

Em meio ao tumulto dos repórteres, cinegrafistas e assessores que aguardavam a chegada do prefeito e, até então, candidato à reeleição Gilberto Kassab (DEM) no tradicional Colégio Santa Cruz, uma exuberante modelo vestida com véu, grinalda, luvas brancas e lingerie roubou a cena.A modelo foi levada pelos humoristas Ceará e Vesgo, do Pânico, da RedeTV!, para "casar" com o prefeito. A noiva apareceu carregada no colo de um deles e com um buquê de rosas vermelhas na mão.Enquanto Kassab tentava dar uma entrevista na porta do carro que o levaria dali, a equipe do programa gritava. "O Pânico tem um presente para você. Kassab, pode casar com a noiva do Pânico."A modelo chegou a ser colocada em cima do carro, mas protestou. "Tira, tá quente, tá queimando."A brincadeira foi uma referência dos humoristas à propaganda veiculada pela candidatura de Marta Suplicy (PT) nesse segundo turno, em que questionava o fato de Kassab não ser casado nem ter filhos.O prefeito chegou a se irritar com os humoristas durante sua votação dentro do colégio. "Respeito", cobrou Kassab ao ser abordado pela equipe.Depois da confusão, quando parou para tomar um café em uma padaria no centro da cidade com jornalistas, Kassab brincou com a confusão. "Eu queria agradecer ao Pânico, porque a noiva era muito bonita", disse o prefeito.SUPERSTIÇÃOMostrando que é supersticioso e acredita no ditado "em time que está ganhando não se mexe", o prefeito repetiu ontem um gesto feito no primeiro turno das eleições.Depois de votar ao lado do governador José Serra e visitar Fernando Henrique Cardoso, o prefeito foi até o colégio Liceu Pasteur, na Vila Mariana. Além de ter estudado na escola, seu pai, o médico Pedro Kassab, é o atual diretor. Ao lado do secretário de Esportes, Walter Feldman, também ex-aluno do Liceu, Kassab repetiu o roteiro: cumprimentou seu Ciro, o funcionário mais antigo, passou na sala em que estudou, na sala de justificativa e na copa, onde tomou um café passado na hora. "Melhor não arriscar", brincou o prefeito, admitindo a superstição.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.