Hugo Napoleão enfrenta processo por abuso de poder

Menos de quinze dias após a diplomação e posse, o governador do Piauí, Hugo Napoleão (PFL), enfrenta um processo de cassação por abuso de poder econômico. A ação de impugnação de mandato foi protocolada hoje no TRE pelo procurador eleitoral Tranvanvan Feitosa. Foi também por abuso de poder econômico que o Tribunal Superior Eleitoral cassou, no dia 8 de outubro, o ex-governador Francisco Moraes, o Mão Santa (PMDB).O processo correrá em segredo de justiça, mas Feitosa adiantou parte do conteúdo. Ele acusa o governador de ter se beneficiado do apoio do Sistema Meio Norte de Comunicação e da Rádio Tropical. Ele entende que, como as duas empresas têm concessões públicas de rádio e TV, houve abuso de poder econômico. O procurador acha que seguidas inserções favoráveis a Napoleão corresponderiam a dezenas de comícios.Mesmo ingressando com ação de cassação do mandato, o procurador acha improvável que ela seja julgada antes do término do mandato de Napoleão, em dezembro de 2002. O corregedor eleitoral, desembargador Batista Machado, informa que o processo deverá seguir direto para o TSE, mas hoje à tarde os documentos ainda estavam sob análise do presidente do TRE, desembargador Antônio Gonçalves.O governador Hugo Napoleão disse que não comentaria o processo "porque ele não existia", mas se declarou "absolutamente tranqüilo, porque quem abusou do poder econômico no Piauí já foi devidamente punido pela Justiça Eleitoral", referindo-se ao ex-governador Mão Santa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.