Hotel abandonado vira universidade no RJ

O São Conrado Palace, hotel localizado em frente à Favela da Rocinha, na zona sul, e abandonado há uma década, será transformado na sede da Universidade do Trabalho, onde funcionarão cursos de graduação, extensão e profissionalizantes. Moradores da Rocinha, assim como funcionários da prefeitura, que cedeu o prédio à universidade particular Estácio de Sá, terão 50% de desconto nas mensalidades. O edifício, de 19 andares, será submetido a uma ampla reforma, que deverá começar dentro de quinze dias, e terminar em cerca de três meses. Entre as sete opções de cursos de graduação, as mais concorridas são Pedagogia e Administração. Serão oferecidos ainda Direito, Informática, Letras, Turismo e Hotelaria. A direção da universidade acredita que a maior parte dos alunos será da Rocinha. Já os cursos de formação profissionalizante, com duração de dois anos, serão voltados para as áreas de Computação, Recursos Humanos, Vendas, Turismo, Administração, Controle de Qualidade, Paisagismo e Educação.A universidade vai oferecer ainda 5 mil vagas para cursos livres e gratuitos, nas áreas de artes, estética, telecomunicações e saúde. "Nosso foco maior são os alunos que não tiveram oportunidade de concluir o ensino médio", disse Marcelo Campos, diretor de Marketing da Estácio de Sá. Exceto pelos cursos de graduação, que serão iniciados somente no ano que vem, as aulas começarão em setembro. O vestibular será em agosto. Cento e cinqüenta pessoas já estão inscritas e chegaram a freqüentar as aulas no campus da Estácio na Rocinha, cujas obras foram embargadas pela Justiça. A Associação de Moradores da Gávea (Ama-Gávea), que considerou a construção prejudicial ao bairro, conseguiu liminar que impediu a conclusão da obra, que estava em fase final. Os alunos - muitos deles, moradores do morro - tiveram de ser transferidos para a unidade da faculdade na Barra da Tijuca, na zona oeste do Rio, e, agora, poderão voltar a estudar perto de casa, informou o diretor de Marketing da Estácio.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.