Hospital descarta pneumonia asiática em passageiro italiano

O diretor-geral do Hospital Universitário Clementino Fraga Filho, Amâncio Paulino de Carvalho, praticamente descartou ontem a possibilidade de o italiano Gergio Piccioni, de 29 anos, estar com a pneumonia asiática. O paciente, que é mecânico da empresa aérea Alitália, chegou ao hospital às 23h de ontem, direto de um vôo que chegava de Paris. Ele começou a sentir os sintomas - febre alta, calafrios e tosse seca - ainda no avião e foi imediatamente internado. Apesar disso, o médico disse que as chances de a pneumonia não ser asiática são de 90%. Mesmo assim, Piccioni continua isolado.O boletim médico informou que ele está lúcido e clinicamente estável. "Nos últimos dias, ele não teve nenhum contato com pacientes com quadro respiratório que tivessem vindo da Ásia e também não esteve viajando em nenhum destes países. Portanto, diria que é um caso de baixa probabilidade para o diagnóstico de pneumonia asiática", disse Carvalho. Além disso, a radiografia do paciente indica uma condensação localizada no pulmão direito, o que sugere a doença do tipo bacteriana, mais comum. "A pneumonia viral é mais difusa. Atinge geralmente os dois pulmões."O médico informou que Piccioni está sob tratamento de antibióticos e que já foram enviadas à Fiocruz amostras de sangue e de secreções pulmonares para análise. Os resultados preliminares devem sair amanhã, mas, segundo ele, a análise viral mais detalhada só fica pronta em três semanas. Veja o índice de notícias sobre a pneumonia atípica

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.