Hospitais universitários ganham estatal

No seu primeiro dia de mandato, a presidente Dilma Rousseff recebeu de herança do antecessor Luiz Inácio Lula da Silva uma nova estatal na área de Educação, a Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (EBSERH). Criada para resolver o impasse dos hospitais universitários, que reúnem cerca de 22 mil profissionais terceirizados - prática considerada ilegal pelo Tribunal de Contas da União -, a empresa ficará encarregada da execução de assistência, ensino e pesquisa na área da saúde.

AE, Agência Estado

02 de janeiro de 2011 | 08h29

A criação da estatal - a sexta do governo Lula - foi feita por Medida Provisória, publicada ontem no Diário Oficial. Pelo texto, num primeiro momento profissionais podem ser contratados temporariamente.

No trecho do seu discurso dedicado à área social, a presidente Dilma Rousseff deixou recado de qual será o tom de seu governo nesse campo: melhorar o acesso e a qualidade dos serviços prestados. Na Educação, além do afago aos professores, que ela afirmou serem as verdadeiras "autoridades" da área, Dilma apresentou medidas práticas.

Comprometeu-se a aumentar o investimento público na área e apresentou a proposta de ampliar o ProUni para o ensino médio profissionalizante.

Na Saúde, Dilma reivindica um papel nada modesto: "Quero ser a presidenta que consolidou o SUS, tornando-o um dos maiores e melhores sistemas de saúde pública do mundo." Um sistema, que, em sua avaliação, precisa atender os problemas das pessoas que procuram, seja com métodos de diagnóstico e tratamento, seja com medicamentos.

Mas, ao contrário da Educação, ela não menciona para a área maiores investimentos. Em vez disso, ela acena com autoridade: "Vou acompanhar pessoalmente o desenvolvimento desse setor."

Mais adiante, ela completou: usaria da força do governo federal para acompanhar a qualidade do serviço prestado e o respeito ao usuário. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.