Horas depois da saída de Marta, vereadores do PT reafirmam apoio a Haddad

Grupo pertencente à corrente 'Novo Rumo do PT' distribuiu nota na qual considera 'prematuras' as especulações sobre a disputa da prefeitura em 2016

Ricardo Galhardo, O Estado de S. Paulo

11 de novembro de 2014 | 19h00

São Paulo - Poucas horas depois da ruidosa saída de Marta Suplicy do Ministério da Cultura um grupo de cinco vereadores pertencentes à corrente Novo Rumo do PT distribuiu uma nota na qual considera prematuras as especulações sobre a disputa pela Prefeitura de São Paulo em 2016 e define como prioridade a sustentação ao governo e apoio à reeleição do prefeito Fernando Haddad.

"Entendemos como prematuras as especulações sobre a sucessão municipal em São Paulo. A principal tarefa, neste momento, é ajudar o prefeito Fernando Haddad a colher os frutos que vem plantando, seja na maturação dos projetos que estão sendo implantados desde janeiro de 2013, seja no cumprimento dos pontos estabelecidos no Programa de Metas 2013-2016. Com isto, estaremos construindo as condições necessárias para a reeleição do prefeito Haddad", diz a nota assinada pelos vereadores Antonio Donato, Vava, Reis, Juliana Cardoso e pelo presidente da Câmara, José Américo.

A saída intempestiva de Marta do MinC é interpretada no PT como o primeiro passo da senadora para enfrentar Haddad na disputa pela vaga do PT à prefeitura em 2016. Dias depois do segundo turno da eleição presidencial, Marta se reuniu com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para dizer que é candidata. Lula não se comprometeu a ajudá-la e ainda disse que o "natural" seria Haddad disputar a reeleição. A ex-ministra, que governou São Paulo entre 2001 e 2004, aposta em um fiasco do prefeito para viabilizar suas pretensões.

Desgastada no Planalto, ela esperou que a presidente Dilma Rousseff saísse em viagem internacional para apresentar sua demissão do MinC. Na carta de despedida, Marta recomenda à Dilma que "a senhora seja iluminada ao escolher sua nova equipe de trabalho, a começar por uma equipe econômica independente, experiente e comprovada, que resgate a confiança e credibilidade ao seu governo e que, acima de tudo, esteja comprometida com uma nova agenda de estabilidade e crescimento para o nosso país. Isto é o que hoje o Brasil, ansiosamente, aguarda e espera".

Já os vereadores petistas dizem, na nota, que Haddad ainda tem tempo e condições vara reverter a baixa avaliação positiva registrada depois dos protestos de junho do ano passado.

"O processo eleitoral de 2016 ainda está distante. Até lá, o PT e seus filiados devem concentrar todo o vigor e energia no sucesso da gestão do prefeito Haddad, que ainda não completou a metade do seu mandato e tem todas as condições para fazer uma excelente administração, levando à vitória nosso projeto de transformação social de São Paulo", diz a nota.

Mais conteúdo sobre:
Marta SuplicyPTeleições

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.