Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Horário de Verão começa no dia 19 de outubro

A ministra de Minas e Energia, Dilma Rousseff, anunciou nesta manhã que a edição deste ano do Horário de Verão começa no dia 19 de outubro e termina em 14 de fevereiro de 2004. O Horário de Verão será implantado em todos os Estados das regiões Sul e Sudeste e em Mato Grosso do Sul, Goiás e Distrito Federal. Permanecerão no horário normal os Estados de Mato Grosso e Tocantins e toda a região Norte e Nordeste, incluindo o Estado da Bahia que nos outros anos teve horário de verão. Segundo a ministra, a adoção do Horário de Verão será feita muito mais para dar confiabilidade e segurança ao sistema de abastecimento de energia do que pela quantidade de energia economizada que, segundo ela, será de meio por cento.A preocupação maior do governo, segundo ela, é evitar problemas no horário de pico de consumo de energia elétrica, entre 18h e 21h. Com a adoção do Horário de Verão, no período de pico, as regiões Sudeste e Centro-Oeste terão uma redução de 5% na demanda, o que corresponderá a 1.690 MW, e de 6% na região Sul, correspondentes a 560MW. Segundo a ministra, a melhora da confiabilidade se dá em condições normais de fornecimento de energia. Além disso, explicou, com Horário de Verão haverá mais facilidade de evitar que um eventual problema, como uma sobrecarga de energia, se propague para todo o sistema. "É um seguro contra corte de energia", disse.A ministra informou também que o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) deu colaboração técnica ao Ministério para definir os Estados em que seria necessária a mudança no horário. No caso da Bahia, por exemplo, explicou, tanto o ONS quanto a distribuidora de energia do Estado, a Coelba, informaram ao Ministério que haverá condições de operar o sistema sem risco de corte durante os quatro meses do horário especial. A decisão de deixar de fora os Estados de Mato Grosso e Tocantins foi tomada, de acordo com suas explicações, porque não haveria ganhos de confiabilidade. Em São Paulo, Goiás, Distrito Federal e Paraná, segundo ela, os benefícios do Horário de Verão serão a eliminação da sobrecarga e a redução da necessidade de corte de carga de energia. Nos outros Estados, além desses benefícios, a ministra citou também a eliminação de necessidade de geração adicional de energia térmica, mais cara que energia elétrica, resultando numa economia de cerca de R$ 30 milhões durante os quatro meses do Horário de Verão. Consultas de hotéis e até de noivasDilma Rousseff disse ainda que não recebeu qualquer pedido formal de governadores para que seu Estado seja incluído ou não no horário de verão. Informou, porém, que o Ministério recebeu inúmeras consultas de hotéis e noivas sobre o início e locais do horário. Diferentemente dos outros anos, a ministra disse que dada área de concessão das distribuidoras de energia foi avaliada separadamente para verificar a necessidade e os ganhos que seriam obtidos.RacionamentoDilma Rousseff descartou também qualquer hipótese de racionamento de energia. "Isso não existe no horizonte deste governo". Segundo ela, além de haver uma sobra razoável de energia, todas as medidas para garantir o abastecimento estão sendo tomadas. Disse ainda que estão em andamento obras para a construção de 50 usinas hidrelétricas e dez usinas térmicas. O Ministério de Minas e Energia, segundo ela, vem fazendo um monitoramento constante dos projetos existentes e trabalhando na elaboração de outros projetos para o futuro. "Temos reforçado todos os sistemas que são estratégicos". Ela lembrou que na próxima semana serão licitados sete blocos de linhas de transmissão de energia e que 45 empresas deverão participar do leilão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.