Homenagem aos integrantes do STF que passaram pela Academia

Corte muito apegada a tradições, o Supremo Tribunal Federal (STF) realiza amanhã em Brasília uma inusitada homenagem. Os homenageados são os dez integrantes do STF que no passado tiveram assento na prestigiosa Academia Brasileira de Letras (ABL). O tribunal nega que a sessão solene tenha o objetivo de ajudá-lo a voltar a ter uma cadeira na ABL, mas a realização de um evento desse tipo tem provocado surpresa até mesmo entre os ministros do Supremo.O orador da sessão será o ministro do STF, Eros Grau, que nos bastidores do Supremo é tido como provável candidato a uma futura cadeira na ABL. Grau tem uma série de livros publicados sobre direito. Na cerimônia solene também estará o ex-ministro Célio Borja, tido como favorito para ser eleito para a ABL na quinta-feira no lugar do também ex-integrante do Supremo Oscar Dias Corrêa, que morreu em novembro aos 84 anos.Outro ministro do STF apontado como futuro candidato à ABL é Carlos Ayres Britto, que é poeta e já é membro da Academia Sergipana de Letras. Britto é autor dos livros de poesia Teletempo, Um lugar chamado luz, Uma quarta de farinha, A pele do ar e Varal de borboletas. Em julgamentos, ele freqüentemente cita versos e faz rimas.Isso ocorreu, por exemplo, quando o tribunal discutiu o direito de grávidas interromperem gestações de fetos com anencefalia. "O que se tem no ventre materno é algo. É algo que nunca chegará a alguém. O útero materno é um casulo e o feto é uma crisálida. Uma crisálida que nunca chegará a ser borboleta", disse o ministro num plenário acostumado a ouvir juridiquês e não poesia.Tentativa de vaga vitalíciaO STF já teve 10 dos 158 ministros de sua história ocupando assento na ABL. E, conforme comenta-se nos bastidores, quer garantir pelo menos mais uma vaga, que é vitalícia, na Academia. No passado, além de Oscar Dias Corrêa, integraram a ABL os ex-ministros do STF Lúcio de Mendonça, Rodrigo Octavio Filho, Pedro Lessa, João Luiz Alves, Ataulfo de Paiva, Hermes Lima, Aníbal Freire, Candido Motta Filho e Evandro Lins.Na cerimônia de amanhã, os projetos, acadêmicos ou não, deverão ficar mais claros. Além de Eros Grau, falarão o presidente do STF, Nelson Jobim (que se aposentará no final do mês e deve voltar para a política), o presidente da ABL, Marcos Vinicios Vilaça (que integra o Tribunal de Contas da União), e o acadêmico Alberto Venâncio Filho.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.