Herdeiro é apresentado como 'novo'

O presidente do Senado, Renan Calheiros, chegou a colocar seu nome para a disputa estadual em Alagoas, mas decidiu lançar seu filho, o deputado federal Renan Filho, ex-prefeito de Murici, após pesquisas apontares rejeição a "velhos políticos".

O Estado de S.Paulo

14 de setembro de 2014 | 02h01

A mais recente pesquisa Ibope aponta vitória de Renan Filho no 1.º turno. A aliados, Renan pai confidenciou que vê no vácuo deixado pela morte do ex-governador de Pernambuco Eduardo Campos (PSB-PE) e pela aposentadoria do senador José Sarney (PMDB-AP) a chance de transformar Renan Filho na maior liderança política jovem do Nordeste.

Renan Filho vestiu a camisa para tentar personificar a figura do "novo político", uma estratégia criada por marqueteiros que não cabe no histórico familiar da família Calheiros. Renan Filho também abriu o bolso para bancar essa tática. À Justiça Eleitoral, o PMDB declarou que vai gastar até R$ 90 milhões na campanha do candidato.

Ostentação. Nas ruas de Maceió e de três outras cidades do interior visitadas pelo Estado, a campanha de Renan Filho é ostensiva. Há placas, bonecos, paredes pintadas e muitos carros de som espalhados. O pai, no entanto, tem evitado aparições ao lado do filho.

Citado em esquema de propina na Petrobrás pelo ex-diretor da estatal Paulo Roberto Costa em delação premiada, Renan teme que isso prejudique o filho e o discurso do "novo político" diante de seu adversário direto Benedito de Lira (PP), o Biu de Lira.

Eleito deputado federal em 2010, Renan Filho usa o prestígio do pai para fazer campanha em Maceió. A reportagem acompanhou duas caravanas em bairros da periferia da cidade. A militância paga, que serve para fazer barulho, balançar bandeiras e entoar jingles de campanha, chega com horas de antecedência, rigorosamente instruída para dar ares de naturalidade à claque.

Enquanto um locutor narra os passos do candidato, Renan Filho, acompanhado do cinegrafista da campanha, anda rapidamente como se estivesse com pressa, distribuindo abraços, beijos e posando para fotos. Essa é a segunda vez que um Calheiros tenta o governo de Alagoas. Em 1990, Renan saiu candidato com o apoio do então presidente, Fernando Collor. Este ano, Collor está de volta ao grupo de Renan. É ele quem faz dobradinha em Alagoas com Renan Filho. / R.B.


Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.