Heráclito diz que pode abrir sindicância do caso Agaciel

Mesmo afastado do cargo, o ex-diretor-geral do Senado Agaciel Maia não se livra dos escândalos. O primeiro-secretário do Senado, Heráclito Fortes (DEM-PI), disse hoje que poderá abrir sindicância para investigar o ex-diretor da Casa. Em entrevista publicada na edição desta semana da revista "Época", o ex-diretor de Recursos Humanos do Senado João Carlos Zoghbi e sua mulher Denise afirmaram que Agaciel é sócio de todas as empresas terceirizadas que têm contrato com o Senado, além de existir corrupção nas contratações do Sistema de Processamento de Dados (Prodasen), na comunicação social, no transporte, na vigilância e no serviço de segurança.

EUGÊNIA LOPES, Agencia Estado

01 de maio de 2009 | 20h03

"São fatos novos e é preciso ver se essas declarações têm fundamento. Se for o caso, abre-se uma sindicância (sobre o Agaciel)", afirmou o senador. Ele observou que, por enquanto, a única coisa concreta contra Agaciel é o fato de ele não ter registrado em seu nome a casa onde mora, avaliada em R$ 5 milhões. "E isso ele (Agaciel) tem de resolver com a Fazenda, a Receita", disse Fortes. Agaciel não foi localizado hoje pela reportagem. Mas em entrevista à revista Maia negou as acusações e atribuiu as denúncias a uma antiga rivalidade funcional. "Ele (Zogbhi) sempre sonhou ser diretor-geral". Agaciel foi diretor do Senado durante 14 anos e deixou o cargo há dois meses.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.