Henry assinou pelo menos mais três atos como secretario do MT sem deixar Câmara

Atos que reforçam as suspeitas da atuação ilegal do deputado foram publicados no Diário Oficial de Mato Grosso no dia 25 de janeiro

Eduardo Bresciani, estadão.com.br

27 de janeiro de 2012 | 21h49

 Mais três atos assinados pelo deputado federal Pedro Henry (PP-MT) como secretário estadual de Saúde do Mato Grosso reforçam a atuação do parlamentar nas duas funções em desacordo com o que determina a Constituição Federal. Henry é réu no processo do mensalão em trâmite no Supremo Tribunal Federal (STF) e teve o nome citado na investigação da Máfia dos Sanguessugas.

 

Os atos que reforçam as suspeitas da atuação ilegal do deputado foram publicados no Diário Oficial de Mato Grosso no dia 25 de janeiro. Ele não pediu licença do cargo de deputado federal mesmo tendo sido nomeado para a secretaria no dia 16 de novembro e manter agenda no estado como se respondesse pela pasta da saúde.

 

Em conversa com o Estado, na quinta-feira, 26, Henry atribuiu a publicação de um ato no dia 20 a um erro de publicação. Nesta sexta-feira, 27, a Secretaria de Administração do Estado negou ao site de Mato Grosso “Olhar Direto” ter ocorrido qualquer falha na publicação. A Secretaria informou que é a pasta da Saúde quem envia os atos para serem publicados.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.