Alex Silva / Estadão
Alex Silva / Estadão

Hemorragia persiste e Bruno Covas se submete a radioterapia

Tratamento servirá para conter sangramento no estômago que o levou à UTI no começo da semana, segundo boletim médico

Bruno Ribeiro, O Estado de S. Paulo

06 de maio de 2021 | 17h39

O prefeito licenciado de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), iniciou nesta quinta-feira, 6, tratamento com radioterapia para tentar controlar um sangramento residual detectado em seu estômago, segundo boletim médico divulgado pelo Hospital Sírio-Libanês, no centro da capital. Covas está internado desde o último fim de semana em decorrência de problemas no seu tratamento contra um câncer metastático que atinge o sistema digestivo e os ossos.

De acordo com o boletim, Covas havia feito uma endoscopia na quarta-feira, que "evidenciou discreto sangramento residual no estômago". Foi um sangramento na cárdia (a interligação entre o estômago e o esôfago), local onde um de seus três primeiros tumores foi detectado, que o havia feito precisar ir para a Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do hospital na última segunda-feira. Esse primeiro sangramento havia sido controlado no próprio exame, mas o prefeito foi para o centro de cuidado intensivo para se recuperar.

Desta vez, a nova endoscopia revelou que havia ponto de hemorragia. "Desta forma, foi iniciado tratamento local com radioterapia para controle deste sangramento", informa o boletim médico.

Ainda segundo o Sírio-Libanês, "o prefeito está recebendo todo suporte clínico necessário e seu quadro clínico é estável", mas "no momento, não há previsão de alta hospitalar". 

Desde que o primeiro sangramento foi detectado, Covas teve de interromper o tratamento contra os tumores que atingem o fígado, a bacia e a coluna. Ele vinha se submetendo a um procedimento que combinava sessões de quimioterapia e radioterapia. Esse tratamento ainda não tem data para ser retornado.

Covas descobriu que tinha câncer em outubro de 2019, inicialmente na cárdia, no fígado e em gânglios linfáticos. O tratamento fez com que parte dos tumores diminuíssem. Neste ano, após piora, os médicos detectaram os novos pontos tumorais. O prefeito se licenciou do cargo no último domingo, 2, por um período em 30 dias.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.