Heloísa Helena quer CPI para investigar Waldomiro

A senadora Heloísa Helena (sem partido-AL) disse que assinará na segunda-feira o pedido de criação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para apurar o episódio de envolvimento do subsecretário parlamentar do governo demitido na noite de ontem, Waldomiro Diniz, em denúncia de corrupção. Para a senadora, os procedimentos adotados pelo governo, de demitir o funcionário e abrir inquérito na Polícia Federal, não são suficientes."É preciso abrir uma CPI para evitar especulação sobre cumplicidade, omissão ou desconhecimento, porque ingenuidade não cabe, de seja lá quem for no Palácio do Planalto", afirmou. A senadora disse que não se trata de indícios de crime, mas sim de provas que mostram exploração de prestígio, tráfico de influência e intermediação de interesse privado.A senadora lembrou que em junho do ano passado, denúncias relacionadas ao caso já haviam sido publicadas pela revista IstoÉ. "Na época perguntei a algumas pessoas sobre o assunto e elas negaram o fato. Em junho, não foi aberto processo investigativo", disse.Heloísa Helena, expulsa do PT no final do ano passado por divergir da política do governo, evitou responder se o episódio atingia o ministro da Casa Civil, José Dirceu, a quem Waldomiro era subordinado. "Não quero que a minha relação política com o Palácio do Planalto contamine a minha avaliação", afirmou.Babá comenta o casoO deputado João Batista de Araújo (sem partido-PA), conhecido por Babá, disse que Waldomiro Diniz "era o elo de Dirceu (ministro da Casa Civil, José Dirceu) com o Congresso, a voz de Dirceu no plenário da Câmara". Segundo ele, o PT devia ter tomado uma atitude quando saiu a primeira denúncia contra ele no ano passado."A direção do partido sabia disso, mas fez de surdo. A militância deve estar decepcionada", disse Babá. O deputado foi expulso do PT no final do ano passado por criticar os rumos do governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva e votar contra a reforma da Previdência.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.