Heloísa alavanca pré-candidatos do PSOL em SP

Ex-senadora visitou cidades, incluindo a capital, e disse ser necessário ?conquistar máquina administrativa?

Roberto Almeida, O Estadao de S.Paulo

12 de abril de 2008 | 00h00

Enquanto tucanos, petistas e partidários do DEM não decidem seus candidatos para as eleições em São Paulo, a ex-senadora e presidente do PSOL, Heloísa Helena, trabalha. Ela esteve em diversas cidades do Estado para alavancar os prefeituráveis de seu partido e "acumular forças para o processo eleitoral". "É fundamental conquistar a máquina administrativa", afirmou a ex-senadora. "Temos obrigação de conquistar prefeituras."A jornada começou em Mogi das Cruzes. Na Câmara, ela prestou solidariedade à candidatura da vereadora Inês Paz. Logo em seguida, Heloísa passou por Mauá, onde discursou e fez caminhada no calçadão central da cidade em apoio ao pré-candidato Mateus Prado. O mesmo ocorreu em São Bernardo do Campo, onde deve concorrer Aldo Santos, e em São Caetano do Sul, que tem como principal nome do PSOL o vereador Horácio Neto. Heloísa mostrou-se preocupada com as manifestações dos militantes: "Daqui a pouco os bandidos da política já vão falar que estamos fazendo campanha fora de hora."O trajeto terminou com um debate na USP, ao lado do deputado e pré-candidato do partido à Prefeitura de São Paulo, Ivan Valente. "Estamos trabalhando para a criação de um projeto de governo", afirmou Heloísa. "O socialismo vai ser uma realidade", completou. Para isso, o programa do PSOL já tem uma diretriz predefinida: a superação do Orçamento Participativo, originário do PT, transformando-o em planejamento participativo global. "Vamos retomar o protagonismo popular abandonado por Lula", disse Valente.Para o presidente do Diretório Estadual do partido, Miguel Carvalho, o PSOL deve ter candidatos em ao menos 10% dos municípios do Estado de São Paulo. "É um partido pequeno, mas não é um nanico moral", explicou Heloísa. "É a alternativa de esquerda para o Brasil."Apesar da agenda de candidata, Heloísa garante que não está pensando na corrida presidencial de 2010. "Isso é só mais para frente. O PSOL terá um nome, mas ainda não está definido." E, até o momento, nem a Prefeitura de Maceió (AL) está nos planos da alagoana. "Não abandonaria o meu povo se precisasse concorrer em 2010."É possível que a ex-senadora dispute uma cadeira de vereadora em Maceió. No entanto, o mais provável é que Heloísa permaneça afastada da política - ao menos como candidata.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.