Helicóptero do Grupo Pão de Açúcar é içado do mar

O helicóptero do Grupo Pão de Açúcar emergiu do fundo do mar da praia de Maresias, em São Sebastião, no litoral norte de São Paulo, às 16h35 de hoje. A operação de retirada dos destroços começou por volta das 13 horas, depois de mergulhadores da Aeronáutica e do Corpo de Bombeiros inspecionarem as condições do aparelho. Para diminuir o peso de quase 3 toneladas, foram amarrados tambores de ar que facilitariam o trabalho do guindaste do barco do Corpo de Bombeiros.Depois de chegar à superfície, o helicóptero foi rebocado até o cais da empresa Desenvolvimento Rodoviário SA (Dersa), no centro de São Sebastião. Ele deverá ser levado para análise ao Departamento de Aviação Civil (DAC), em São Paulo, ou ao Centro Técnico Aeroespacial (CTA), em São José dos Campos, no Vale do Paraíba (SP).Os destroços do aparelho do empresário João Paulo Diniz foram localizados na sexta-feira por uma equipe de resgate na praia de Maresias. Bombeiros do Grupo de Busca e Salvamento (GBS) permaneceram no local para evitar a presença de curiosos. "O helicóptero estava virado com o teto para baixo e tinha parte da fuselagem danificada", disse o mergulhador Vicente Albanez, que localizou o aparelho.Segundo o capitão do Corpo de Bombeiros em Maresias, Celso Payão Rosa Cruz, de Maresias, o helicóptero estava a 2,8 quilômetros de distância da costa, a 18 metros de profundidade e a cerca de 4 quilômetros da praia de Santiago, onde foram encontrados os corpos da modelo Fernanda Vogel, sexta, e do piloto Ronaldo Jorge Ribeiro, na terça. "A água é escura e há poucas condições de visibilidade, o que dificultou os trabalhos", disse Cruz.O tanque de combustível está intacto, comprovando que não houve explosão com a queda. Os assentos de flutuação, que poderiam ter sido usados pelos passageiros, continuam no mesmo lugar. "Cheguei a tocar neles", disse Albanez.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.