MASTRANGELO REINO/GOVSP
MASTRANGELO REINO/GOVSP

Haverá punição para tucano contra reforma, mas momento é de convencimento, diz Alckmin

PSDB decidiu esta semana orientar seus parlamentares a votarem a favor da proposta

Paula Reverbel, O Estado de S. Paulo

16 de dezembro de 2017 | 16h21

Eleito presidente do PSDB há uma semana, o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, disse neste sábado, 16, que o partido vai punir os tucanos que votarem contra a reforma da Previdência, mas que o momento atual é de convencimento.

"Olha, terá punição. Mas nós vamos estabelecer... O nosso momento não é de estabelecer punição, é de convencimento", disse em resposta a perguntas de jornalistas em Americana (SP).

O PSDB decidiu esta semana orientar seus parlamentares a votarem a favor da proposta, mas não chegou a estabelecer uma punição para quem descumprir a diretriz.

Na ocasião, Alckmin tinha dito que a possibilidade de ter punição não estava excluída.

O governador voltou a afirmar que o PSDB é favorável à reforma. "Era para votar em dezembro, ficou para fevereiro. Nós continuamos favoráveis, se ficar para março, continuaremos favoráveis", disse neste sábado.

"Entendemos que é uma questão de justiça, no sentido de ter o tratamento mais justo entre o setor privado e o setor público e evitar o déficit", acrescentou.

O governador esteve em Americana para inaugurar o Terminal Metropolitano da cidade.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.