Hartung critica proposta de parcelar restituição do IR

O senador Paulo Hartung (PSB-ES) criticou hoje a proposta do governo de parcelar o pagamento da restituição do Imposto de Renda, qualificando-a como "um confisco, um imposto compulsório disfarçado". "O dinheiro da restituição é do cidadão. Não pode servir de carta na manga para a negociação", sustentou Hartung, em resposta à idéia do governo de aceitar a correção de 17,5% na tabela de descontos do Imposto de Renda da Pessoa Física mas, em troca, retardar a restituição do imposto recolhido a maior pelos contribuintes no ano anterior (ano-base). O senador, que é o autor do projeto original que corrige a tabela do imposto de renda, mantém seu apoio à correção linear de 20%. No projeto original, Hartung propunha correção de 28% na tabela de descontos, mas o projeto aprovado pela Comissão de Constituição e Justiça da Câmara aumentou esse porcentual para 35%, não aceito pelo governo. Hartung afirmou que a proposta de parcelar a restituição "não passa de um teatro do governo no sentido de protelar a discussão e adiar a correção da tabela", que é uma das matérias em pauta para serem votadas ainda este ano pelo plenário da Câmara.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.